Agora com a designação de O PALHETAS NA FOZ em (www.opalhetasnafoz.blogspot.com)

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Leirosa / Celbi

Caros amigos e conterrâneos:

Tenho o prazer de conseguir a 8000Km de Portugal (Angola) estar informado através da vossa página (Jornal Online "O Palhetas") das novidades da minha terra. Agradeço-vos por isso.

No entanto existem assuntos graves que têm passado ao lado de muita gente e que estão a matar a minha terra e que vos gostava de transmitir, certo que talvez num pequeno espaço da vossa página possam alertar as mentes mais distraídas.

Assim:
Sou natural da freguesia de São Julião, Figueira da Foz, e residente na Praia da Leirosa, mas actualmente encontro-me a trabalhar em Angola. Indo com alguma frequência a Portugal, constato algumas coisas que me revoltam enquanto cidadão.
Como sabem, na Leirosa está situada uma fábrica de celulose que pertencia á Stora Enso mas que foi adquirida á alguns meses pela Altri SGPS,. Ora desde então temos vivido nesta povoação momentos de verdadeiro "pavor" com as emissões constantes de gases nocivos para a saúde publica, cheiros nunca antes sentidos, poeiras que chegam a destruir carros e estores, e um infindável rol de coisas que toda a gente sabe mas que ninguém, apesar das inúmeras reclamações, quer avançar para tomar outras providências.
Tem-se verificado um aumento significativo de casos de cancro naquela zona e ninguém faz nada. O silêncio será eterno mas só para as pessoas que falecem por estas alegadas irresponsabilidades.
Ora a vida humana merece ser respeitada.

Gostava de vos pedir humildemente que tentem, através dos vossos parcos meios, indagar e alertar para estas situações que a todos nós, mais tarde ou mais cedo, poderão vir a atingir.
Melhores Cumprimentos
Mário Adão, Eng.º

(Recebido via 'mail' em 31/Jan/009)

6 comentários:

Anônimo disse...

Pois é,ainda há dias o senhor Custódio Cruz(Rádio Foz de Mondêgo) dava conta(no Blog Margem sul) de que os leirosenses recebiam muito menos contrapartidas do que o mal que lhe fazem.Isto tudo a prepósito de ele ter ido ver um jogo de futebol á leirosa com o cova-gala.
De facto este homem tem o condão de fazer reflectir as pessoas,e agora com este post começo cada vez a acreditar que ele tem toda a razão.
Eu moro na leirosa, e o meu pai sofre de cãncro,embora ele me peça para não o divulgar, o sofrimento é dele ,meu e da minha mãe.
Acho que é tempo de denunciar e tomar medidas,e o meu pai quer queira quer não, vai ter um filho que quer o melhor para os seus netos, e por isso vou meter me ao lado de quem quer bem ás gentes da leirosa.
Obrigado pela denúncia,eu vou passar a palavra.

João Miguel Vaz disse...

As preocupações dos munícipes devem chegar às empresas em questão, e autoridades competentes, de forma a obterem esclarecimentos.

Caso necessitem de ajuda ou outras informações estarei à Vossa disposição.

Joao Vaz
Vereador PS na CMFF
joao.vaz@cm-figfoz.pt
jmcvaz@gmail.com

Zéfoz disse...

Há fortes suspeitas que a emissão tóxica de gases naquela zona prejudica a saúde dos habitantes.
Se as mesmas estão a aumentar alguém tem que tomar medidas.

Zéfoz disse...

Ainda a propósito da emissão de gases tóxicos na zona da Leirosa.

Há uns anos atrás um conhecido médico pediatra da Figueira, foi operado a um tumor na cabeça em Londres. Pouco tempo depois faleceu.
Embora não tivesse sido provado o grau de casualidade da doença o seus colegas ingleses disseram-lhe que aparecia muita gente desta àrea com estes problemas.
Assim, alertas desta natureza, nunca são demais.

Anônimo disse...

Em tempo:
..."grau de causalidade"...

Anônimo disse...

Este assunto parece-me no mínimo empolado.
Se existem preocupações, devem ser estudadas, por quem percebe, e não através de "ouvi dizer", "acho que", etc.
É verdade que as celuloses poluem? É!
E estão a cumprir a lei? Parece que sim!
Então o que fazer? Presionar a Direcção Geral de Saude e a Inspecção do Ambiente para estudar o que se suspeita!