Agora com a designação de O PALHETAS NA FOZ em (www.opalhetasnafoz.blogspot.com)

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Rua do Aqui Não Passo

Quem entra na rua do Paço pelo lado do Largo Padre Arménio Marques depara desde logo com um prédio em ruínas, com queda de pedras, caliça e vidros!! Que perigo!...

14 comentários:

Anônimo disse...

Não será "isto" o resultado da «justíssima» lei das rendas?

Anônimo disse...

Esta rua é a da minha mãe

Anônimo disse...

O sr Flórido, devia passear pelo resto da Figueira. Mete dó.

Anônimo disse...

O prédio é de um antigo vereador

Anônimo disse...

Presidente vde câmara, PRECISA-SE.

Figueirense Atento disse...

Lamentavelmente a Rua do Paço, Rua da Cadeia e Rua da Fonte que são as mais antigas da Figueira (inicialmente designadas por caminho de Buarcos), apresentam vários imóveis degradados e em perigo eminente de ruína. Repare-se na casa vermelha ao fundo da Rua da Fonte.
Que cartões de visita!

Anônimo disse...

Qual lei das rendas?...isto é uma vergonha...a não aplicaçâo das leis por quem de direito,coloca os interesses da figueira para segundo plano..
E pior ainda a segurança do cidadão comum..
Sim porque o dono é tão estúpido que nem por lá passa.
Haja vergonha...

Custódio Cruz

Anônimo disse...

Esta e a rua da mãe do Florido

Anônimo disse...

Façam-se hoteis de charme, reivindiquem hoteis de cinco estrelas, e depois permitam esta desgraça nos edificios, a tristeza dos jardins, a limpeza e as ervas ao longo das ruas, e depois gastem dinheiro em campanhas de promoçao turistica.
Inteiramente de acordo. PRESIDENTE DE CÃMARA PRECISA-SE.

João Miguel Vaz disse...

Muitas cidades do país (Torres Vedras, Viana do Castelo, VR Santo Antonio, Leiria, Coimbra...etc.) têm uma SRU (Sociedade de Requalificação Urbana) apoiadas por dinheiro governamental, programas POLIS entre outros.
Mas, a Figueira atrasou-se irremediavelmente por incompetência de quem dirigiu os destinos da cidade nos últimos 12 anos. Não fez quase nada, nem sequer a alteração do IMI, reduzindo-o, para quem quiser fixar residência nos centros históricos. Todo um trabalho de gerações está a ser arruinado por desleixo e falta de visão.

Anônimo disse...

Evidentemente que o grande mal desta terra é não ter tido desde há décadas até hoje, um presidente da camara lúcido, imaginativo, criativo, enfim capaz para o lugar.
O problema da terra não é apenas a falta de dinheiro. O problema latente desta terra è que os presidentes teem sido empurrados pelos partidos para o lugar e eles fazem do lugar, plataforma giratória para outros voos e quando tivemos figueirenses descomprometidos no lugar eles fora sempre como é hoje o caso, pessoas autistas, sem o minimo de bom gosto ou criatividade, com imaginação zero e o que ainda vão fazendo fazem-no para ter uma fotografia no "figueirense".
Vejam o actual presidente. Ele anda de mota, ele anda apé, ele ando de carro, ele anda de barco eu sei lá, mesmo assim já repararam no estado das ruas? e das casas? E das árvores que vão sendo cortadas e não repostas? e olçixo? e sa ervas ao longo dos passeios?.Será que o homem não vê?

Figueirense Atento disse...

Nas casas em ruínas o IMI(imposto municipal s/ imóveis, antes designado contribuição autárquica), pode triplicar. Para o efeito as Câmaras Municipais devem comunicar à Direcção Geral de Impostos até 30 de Novembro, os imóveis que se encontram nessas condições. De que estamos à espera?

Anônimo disse...

Esperamos um presidente da câmara

Anônimo disse...

O que nos vale é o "Titanic" do Vale do Galante que vem salvar a Figueira desta "apagada e vil tristeza"...